Vemos o mundo de uma forma diferente

Ele estava imóvel, a pouca distância, rente ao solo. Neste instante escutei um sonoro Clik! Sim, um Clik! E não pude conter o meu espanto…

Fato ocorrido durante um passeio, nas longínquas terras do Canadá.

Caminhávamos pelo interior do Canadá, águas belíssimas ornavam a paisagem bordeadas por pedras, muitas pedras, e em alguns pontos com uma vegetação encantadora, formando um grande lago do qual não se via a outra margem. Sua extensão era tão vasta que ondas se formavam neste lago.

Admirava tudo, acompanhado de um amigo fotógrafo. Comentávamos a paisagem, nos entretínhamos com as pedras, relacionávamos aquela beleza com a Fonte de toda beleza, Deus.

Conversávamos entretidos, até que… Meu amigo! O que houve com meu amigo?

Sim algo aconteceu.

Um repentino silêncio me chamou a atenção. Calou-se meu amigo, e me vi a conversar sozinho, sem resposta às minhas indagações!

Olhei para trás e vi, com espanto, o meu amigo a pouca distância. Estava ali, rente ao solo. Seus braços estavam rígidos, seus olhos vidrados colados à objetiva. Me aproximei para analisar, neste instante escutei um sonoro Click! Sim, um click. Pude então ver que suas mãos manejavam habilmente sua boa máquina fotográfica.

Mas meu maior espanto foi ao verificar o objeto de tão grande interesse… Em meio àquele panorama exuberante, com um lago azul paradisíaco e um céu fabuloso, meu amigo fotografava uma mísera florzinha, menor que a falange do meu mindinho, em meio a um amontoado de pedras…

Não contive o espanto e logo exclamei:

–Mas com toda essa exuberância da natureza ao nosso redor você vai fotografar uma florzinha de nada!

À indagação meu bom amigo apenas respondeu:

–Sabe, nós fotógrafos vemos o mundo de uma forma diferente.

De fato… quando me mostrou o resultado de sua fotografia fiquei impressionado!

Aquela florzinha tomou uma perspectiva impressionante, realçada sua beleza com as pedras escuras ao fundo. Ele soube por em evidência o que o comum das pessoas não vê, e não faz ideia que existe.

Caríssimos, essa história é real. Assim que a ouvi pensei:

Os leitores de Arautos&Fotos gostarão de conhecê-la.

Resta-me agora lhes mostrar o mundo que os fotógrafos veem e que vocês não costumam ver:

Fotos Macro

Fotos: David Ayusso/Leandro Souza

Pequenos bibelôs, grandes fotografias!

Pequenos bichos, flores e plantas. Somente a isso se resumem as fotos macro?

Macro fotografia não se resume apenas em fotos de bichos e flores. Ela é utilizada com mais frequência em fotografias de natureza, mas também o é nas ciências naturais e com os produtos industrializados. Habitualmente o que nela mais atrai é a capacidade de revelar detalhes minúsculos com muita clareza, e a capacidade de dar aos objetos fotografados uma vida e atratividade que por si só não o teriam.


Veja nas galerias de fotos macro os pequenos cavaleiros registrados por um Arauto do Evangelho em viagem a Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

Macro Fotografia!

2015_04_04__Cavaleiro006Foto: Henrique Dias

Animais Pequeninos – FotoMacro

Com a macro fotografia o não visível vira destaque. Aquilo que o olho humano não registra a foto macro revela.

Clique na Foto

Foto arautos do evangelho - mariposa de frenteFoto: Henrique Dias

 

Objeto de interesse: o Arauto pôs em destaque um dos pontos que difere a mariposa da borboleta: sua antena em formato de folha alongada.

O leitor sabia?

As borboletas tem as antenas finas e levam uma pequena esfera na ponta. As mariposas tem antenas de diversos formatos, cada uma conforme sua espécie.

Macro

As fotos macro mostram detalhes que habitualmente não são vistos, ou são pouco percebido, sendo assim pouco admirados. Visualize essa galeria. Aprecie a beleza destinada a poucos!

Flores!

Macrofotografia

Foto arautos do evangelho - Flor_Japi004Foto: Henrique Dias

Macrofotografia feita por membro da equipe fotográfica dos Arautos do Evangelho.

Objeto de interesse: uma pequena florzinha na mata da Serra do Japi.