O louvor devido a São José

São José, pai de Jesus, esposo de Maria, protetor da Santa Igreja, quanto devemos louva-lo?

2012_12_02-DSC08764

Figura ímpar, exaltada pela Igreja junto com a de Maria, nunca será suficiente louvar São José, tal a quantidade de maravilhas e privilégios com que aprouve a Deus cumulá-lo. Infelizmente este glorioso Patriarca muitas vezes é esquecido, sendo seu culto menor do que mereceria. Encontramos uma explicação para isso no desvio ocorrido nos primeiros tempos do Cristianismo com relação à devoção a Nossa Senhora. Com efeito, os fiéis admiravam tanto a grandeza d’Ela que alguns chegaram a reverenciá-La como se fosse uma deusa.1

Ensina São Tomás de Aquino2 que toda situação intermediária, considerada a partir de um dos extremos, se parece com o oposto. E foi o que se deu com o culto à Santíssima Virgem, pois, analisada a partir de nossa condição de criaturas concebidas no pecado original, Ela parece mais perto de Deus do que de nós. A Igreja evitou esse erro mantendo certos limites nas demonstrações de piedade mariana. Só no século IV declarou o dogma da maternidade divina, definindo a participação relativa de Maria no plano da união hipostática, o mais alto grau de toda a ordem da criação, e deixou passar longos séculos para, afinal, proclamar sua Conceição Imaculada. Foi preciso, no início, fixar a adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo para depois estimular o amor à Mãe de Deus, ao sabor dos ritmos divinos soprados pelo Espírito Santo. Com relação a São José, não parece ser outra a razão. Talvez Nosso Senhor tenha querido que certos aspectos desse varão permanecessem ocultos para impedir que, exageradamente enaltecidos, viessem a ofuscar a figura de Cristo, pois as atenções deviam estar todas voltadas para Ele.

Não é compreensível, entretanto, que sendo Jesus o Homem-Deus, nascido de uma Mãe Imaculada, colocasse junto a Si, como pai adotivo, uma pessoa apagada, sem brilho. Portanto, se durante vinte séculos São José permanece escondido e retirado, é de se esperar que esteja chegando a hora em que a teologia explicite verdades novas a seu respeito, pelas quais se torne conhecido, com exatidão e nas suas minúcias, seu papel na Sagrada Família e a categoria de sua elevação enquanto esposo de Maria, pai de Jesus e Patriarca da Santa Igreja.

A Solenidade de São José é o dia especialíssimo para abrir nossos corações à devoção a este tão grande Santo, na certeza de sermos bem conduzidos, bem tratados e bem amparados. E valendo-nos de seu poderoso auxílio, devemos pedir-lhe, enquanto Patriarca da Igreja, que intervenha nos acontecimentos, obtendo de Jesus a renovação da face da Terra.

Excertos de Homilia do Mons. João Clá Dias

Imagens de São José, o protetor da Santa Igreja.

Fotos: Leandro Souza

Ver Mais Imagens de Santos

Quem São os Arautos?

Quem são os Arautos do Evangelho? Por que esse hábito? Por que essa Cruz e essas botas?

Os Arautos do Evangelho, ao sairem à rua, habitualmente escutam: Quem são vocês?

Ao aproximar-se do interlocutor, o Arauto escuta atento a essa já conhecida, e muitas vezes enlevada, sequencia de porquês.

 Seria o nosso leitor capaz de responder?

———-:———-

Quem são os Arautos do Evangelho?

Arautos do evangelho em Aparecida do NorteOs Arautos do Evangelho são uma Associação Internacional de Fiéis de Direito Pontifício, composta predominantemente por jovens, presente em 78 países. Seus membros de vida consagrada praticam o celibato, e dedicam-se ao apostolado, alternando a vida de recolhimento, estudo e oração, com atividades de evangelização nas dioceses e paróquias, dando especial ênfase à formação dos Jovens.

Os Arautos do Evangelho procuram praticar em toda a sua pureza fascinante os conselhos evangélicos.

Vivem em comunidade (masculinas ou femininas), em um ambiente de caridade fraterna e disciplina, com intensa vida de oração e estudo.

Por verem na cultura e na arte eficazes instrumentos de evangelização, os Arautos habitualmente utilizam da música, tanto pelas vozes como pelos instrumentos. Por isso grande número de coros, orquestras e conjuntos musicais foram constituídos por Arautos, a fim de levar fé e esperança à sociedade.

Mons. João Clá Dias

Monsenhor João Clá Dias, fundador dos Arautos do Evangelho

Seu fundador é Mons. João Clá Dias, cônego honorário da Basílica Papal de Santa Maria Maior, Protonotário Apostólico, membro da Sociedade Internacional Tomás de Aquino, da Academia Marial de Aparecida, e da Pontifícia Academia da Imaculada.

Mons. João organizou também um ramo feminino dos Arautos, é fundador da Sociedade Clerical de Vida Apostólica Virgo Flos Carmeli e da Sociedade Feminina de Vida apostólica Regina Virginum. Atual Superior-Geral de Virgo Flos Carmeli e de Arautos do Evangelho.

.

O hábito dos Arautos do Evangelho

Missa de Formatura de TeologiaAo recordarmos um Arauto, a primeira imagem que nos vem a mente é um jovem, trajando um longo hábito. Seus ombros sustentando um escapulário estampado com uma cruz vermelha e branca, com pontas que lembram flores de lis. Nos pés, um par de botas, e sua cintura ornada com uma corrente de ferro, da qual pende um rosário.

Habito dos Arautos do Evangelho LS_5DMlll-80965A túnica do hábito dos Arautos:

A túnica marrom, mais austera e sóbria, foi reservada aos clérigos (diáconos e presbíteros), enquanto os leigos consagrados usam a túnica branca-marfim.

Os que começam sua experiência vocacional, usam o hábito de noviço: túnica e escapulário ocres. O hábito do setor feminino compõe-se de una túnica de cor amarelo-ouro e o escapulário marrom.

.

O escapulário de um Arauto:

Escaulário dos Arautos do Evangelho

O escapulário que o Arauto porta sobre os ombros representa o manto da Santíssima Virgem, cuja proteção maternal envolve com especial solicitude quem a Ela se consagra. É também símbolo da entrega que ele faz de sua vida, de seu ser e de seu querer, nas mãos da Rainha dos Céus.

O capuz, presente nos hábitos dos clérigos e leigos consagrados é o símbolo da vida contemplativa.

.

.

A Cruz florida em vermelho e branco:

Hábito sacerdotal dos Arautos do EvangelhoA grande cruz do escapulário, com pontas estilizadas que lembram flores de lis, é inspirada na Cruz de Santiago de Compostela: símbolo por excelência do peregrinar em busca da Pátria Celeste. O branco da cruz representa a pureza de doutrina e de costumes; o vermelho reflete o amor e o desejo da fidelidade levado até o holocausto, imagem do Preciosíssimo Sangue vertido por Jesus até a última gota. O dourado exprime a beleza e a excelência da santidade à qual todos batizados são chamados.

.

Por que os Arautos usam uma corrente na cintura?

Detalhe do hábito dos Arautos do EvangelhoA corrente, que cinge a cintura, simboliza a devoção à Nossa Senhora, ensinada por São Luís Grignion de Monfort, proposta como exemplo de submissão à vontade de Deus: “Eis a escrava do Senhor” (Lc 1, 38). São Luís nos convida a imitá-la consagrando-nos como “escravos de amor a Jesus, pelas mãos de Maria”. O santo aconselha levar uma corrente simbolizando esta devoção.

.

.

.

O rosário!

A oração é o meio infalível de obter de Deus as graças e dons desejados e o Rosário, inspirado pela própria Virgem a São Domingos de Gusmão, em inúmeras ocasiões demonstrou sua eficácia. São PioX o considerava como “a mais bela e a mais preciosa de todas orações”.

Como fazem muitas Ordens Religiosas, os Arautos não somente levam o Rosário à cintura, mas o rezam diariamente.

As botas dos Arautos do Evangelho:

2014_04_18-Cerimonia_de_Quinta_Feira_Santa_-_5DLS1931O que mais suscita perguntas é, sem dúvida, o uso de botas. O fato dos Arautos utilizarem botas de couro e cano alto, como os antigos missionários em suas resignadas andanças às mais longínquas terras até então conhecidas, não se deve a nenhuma necessidade prática, e sim a um valor simbólico; elas representam o carácter missionário, e abnegado, que não conhece limites, nem obstáculos para levar a fé em Cristo e o amor a Maria.

——–

Caríssimo leitor, se tiver dúvidas pode nos perguntar. Deixe o seu comentário.

Encontro nacional do Apostolado do Oratório em Aparecida.

15 Anos de apostolado no Brasil e no mundo, 7 peregrinações em agradecimento a nossa Mãe e Rainha.

Clique para ver as fotos

foto-arautos-do-evangelho2015_08_08___S_63324Foto:Leandro Souza

Foi sob o manto de Nossa Senhora Aparecida que o Apostolado do Oratório comemorou 15 anos que Monsenhor João Clá fundou o Apostolado do Oratório, 15 anos de peregrinações junto ao povo brasileiro e em dezenas de outros países com o Oratório de Nossa Senhora.

Milhares de coordenadores do Oratório, e de famílias que o recebem em sua casa, se reuniram com os Arautos do Evangelho no Santuário de Nossa Senhora Aparecida  para comemorar esse aniversário com a Sétima peregrinação Nacional.

A bela cerimônia seguiu o seu tradicional roteiro: oração do terço; reunião e a Santa Missa, presidida por Dom Damasceno, no Santuário de Nossa Senhora.

Pouparei o leitor de se demorar por demais nestas linhas, pois uma foto fala mais que mil palavras! Veja não só uma, mas vária fotos na galeria de fotos, e sinta um pouco o que foi esta peregrinação.